Educação Superior Intercultural, Reconhecimento E Redistribuição: O Duro Caminho Dos Povos Indígenas No Equador (Intercultural Higher Education, Recognition and Redistribution: The Hard Path of Indigenous Peoples in Ecuador)

Cavallazzi, Vanessa & Perrone Campos Mello, Patrícia & Soares, Raony. (2018). Educação superior intercultural, reconhecimento e redistribuição: o duro caminho dos povos indígenas no Equador. Revista de Direito Internacional. 15. 10.5102/rdi.v15i1.5171.

24 Pages Posted: 29 Sep 2020

Date Written: 2018

Abstract

Portuguese abstract: O objetivo deste artigo é investigar, a partir da experiência da Univer- sidade Intercultural AMAWTAY WASI, do Equador, se o ensino superior intercultural se justifica com base no princípio da igualdade, como instru- mento voltado a garantir aos povos indígenas uma educação fundada em premissas ligadas aos seus valores culturais, étnicos e morais, ou se, ao con- trário, sublinha a desigualdade, favorecendo a segregação dessas populações e dificultando a sua inserção e ascensão sociais. Para tanto, incursionou-se pelo princípio da igualdade e pelo direito à diferença, com o propósito de contrastá-los com os conceitos de multiculturalismo e, assim, compreender em que medida a educação tradicional pode ou não produzir a assimilação social. Na sequência, buscou-se explorar a ideia de educação superior inter- cultural com o objetivo de identificar a existência de um suposto direito à di- ferença, seus limites e as possibilidades de que disporia de garantir princípios vetores da Constituição do Equador, como o da multiculturalidade. Por fim, avaliou-se a capacidade da educação intercultural de favorecer a inserção social das populações indígenas, investigando que espécie de inclusão no te- cido social pode ser facilitada: uma inserção totalizante ou uma outra capaz de produzir reconhecimento e redistribuição.

English abstract: The aim of this article is to investigate, from the experience of the AMAWTAY WASI Intercultural University of Ecuador, if intercultural higher education can be justified with basis on the principle of equality, as an instrument aimed at promoting indigenous peoples an education linked to their cultural, ethnic and moral values or, on the contrary, if it underlines inequality, favoring the segregation of these populations in schools and hindering their social insertion and ascension. With this purpose, it examines the principle of equality, the right to difference and the concepts of multiculturalism, in order to understand to what extent traditional education may or may not produce social assimilation. The aim was to explore the idea of intercultural education in order to identify the existence of a right to difference, its limits and possibilities of guaranteeing principles of the Constitution of Ecuador such as multiculturalism. Finally, the capacity of intercultural education to favor the social insertion of indigenous populations was evaluated to find what kind of inclusion is facilitated: a totalizing insertion or another one capable of establishing recognition and redistribution.

Keywords: educação intercultural, multiculturalismo, reconhecimento, redistribuição

Suggested Citation

Mello, Patrícia Perrone Campos, Educação Superior Intercultural, Reconhecimento E Redistribuição: O Duro Caminho Dos Povos Indígenas No Equador (Intercultural Higher Education, Recognition and Redistribution: The Hard Path of Indigenous Peoples in Ecuador) (2018). Cavallazzi, Vanessa & Perrone Campos Mello, Patrícia & Soares, Raony. (2018). Educação superior intercultural, reconhecimento e redistribuição: o duro caminho dos povos indígenas no Equador. Revista de Direito Internacional. 15. 10.5102/rdi.v15i1.5171. , Available at SSRN: https://ssrn.com/abstract=3672643

Patrícia Perrone Campos Mello (Contact Author)

Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) ( email )

SEPN 707/909 - Campus UniCEUB
Asa Norte
Brasilia, DF 70790-075
Brazil

Do you have a job opening that you would like to promote on SSRN?

Paper statistics

Downloads
4
Abstract Views
37
PlumX Metrics